05 setembro 2007

O POEMA DA PAZ

















O dia mais belo? Hoje.
A coisa mais fácil? Equivocar-se.
O obstáculo maior? O medo.
O erro maior? Abandonar-se.

A raiz de todos os males? O egoísmo.
A distracção mais bela? O trabalho.
A pior derrota? O desalento.
Os melhores professorem? As crianças.

A primeira necessidade? Comunicar-se.
O que mais faz feliz? Ser útil aos demais.
O mistério maior? A morte.
O pior defeito? O mau humor.

A pessoa mais perigosa? A mentirosa.
O sentimento pior? O rancor.
O presente mais belo? O perdão.
O mais imprescindível? O lar.

A estrada mais rápida? O caminho correcto.
A sensação mais grata? A paz interior.
O resguardo mais eficaz? O sorriso.
O melhor remédio? O optimismo.

A maior satisfação? O dever cumprido.
A força mais potente do mundo? A fé.
As pessoas mais necessárias? Os pais.
A coisa mais bela de todas? O amor.


Autoria: Madre Teresa de Calcutá

3 comentários:

Sol da meia noite disse...

Madre Teresa foi uma alma Grande!
Uma vida de inteira doação, de entrega aos outros... e a troco de nada...

Este poema, escrito por ela, é digno de todo o respeito. Porque ela sentiu cada palavra... viveu-as!

Linda homenagem!
Beijinho!

Conceição Bernardino disse...

Olá minha querida amiga lindo e belo poema.
Venho te agradecer o teu presente, não me esqueci de ti apenas estive em descanço o mês de Agosto.
Agora estou de volta e com força um beijo carinhoso desta que te guarda no coração.
Conceição

Victor Lustin disse...

Eu já tinha ouvido este poema uma vez, mas não sabia que era da Madre Tereza...

Muito bom =)

Beijos